CAIXITA.png
PIONEIROS LOGO2.png
 
FAIZA CINZA.png

SOBRE

“Pioneiros: a História das Artes Visuais em Anápolis” tem o objetivo de resgatar as origens e influências das Artes Visuais na cidade de Anápolis através das histórias em quadrinhos. E dessa maneira desenvolver releituras sobre a vida e obra dos artistas pioneiros nas Artes Visuais em Anápolis: Antônio Sibasolly, Loures, Napefi, Zeneide Lucena, Isaac Alarcão e Oswaldo Verano.


Assim, por meses foi realizada uma pesquisa histórica e seu conteúdo aplicado em um curso de formação na linguagem das histórias em quadrinhos. Foram selecionados 10 artistas para participar do curso de formação, e no desenvolvimento das histórias em quadrinhos.

 

A revista foi publicada em formato impresso e digital, assim alcançando a comunidade em diferentes momentos com o objetivo de facilitar o acesso do público. Foram distribuídos 700 exemplares da revista “Pioneiros: a História das Artes Visuais em Anápolis”  para a Escola de Artes Oswaldo Verano, Biblioteca Municipal de Anápolis,  Galeria de Artes Antônio Sibasolly,  Museu de Artes Plásticas de Anápolis, Biblioteca Clarice Lispector (IFG), Biblioteca do Campus de Ciências Exatas e Tecnológicas (UEG);  Biblioteca do Câmpus de Ciências Socioconômicas e Humanas (UEG), Diretoria Municipal de Cultura de Anápolis, para a família dos artistas homenageados, para os participantes do projeto e comunidade em geral. Esse projeto foi contemplado através do Fundo Municipal de Cultura de Anápolis em 2019.
 

Esse projeto foi contemplado através do Fundo Municipal de Cultura de Anápolis em 2019.

 
FAIZA CINZA.png

ARTISTAS HOMENAGEADOS

 Para o projeto foram selecionados os artistas Antônio Sibasolly, Loures, Napefi, Zeneide Lucena, Isaac Alarcão e Oswaldo Verano.

    O historiador Rafael Faria foi responsável por realizar uma pesquisa histórica acerca da vida e obras desses artistas. Esses artistas são referências e pioneiros nas Artes Visuais em Anápolis.

 Cada um com suas especificidades foram responsáveis por desenvolver, fomentar e apoiar as Artes Visuais e influenciar gerações de artistas.

Prancheta 3.png
Prancheta 3.png
Prancheta 3.png
Prancheta 3.png
Prancheta 3.png
Prancheta 3.png
 
FAIXA NAPEFI.png

NAPEFI

Sobre o artista

Nazareno Pereira Filho é artista plástico anapolino que ganhou destaque por suas pinturas de caráter modernista e cubista. Nascido em Anápolis no ano de 1959, em meados da década de 1970 conheceu o renomado professor de arte Oswaldo Verano, assim, em 1977, começou a estudar na escola de arte de Verano com o objetivo de aprender a esculturar, mas no decorrer dos estudos optou pela pintura. Nesse sentido, buscou a arte contemporânea para retratar as representações muito particulares de sua visão, que no geral, retrata o sentimento, a poesia e a estética do que é o ser humano. E, não menos importante, Nazareno já foi diretor da Escola de Artes Oswaldo Verano.

Obras

 
FAIXA ISAAC.png

ISAAC ALARCÃO

Sobre o artista

Isaac Alarcão é pintor de grande renome no cenário das artes plásticas regionalmente e nacionalmente. Nascido em Anápolis no ano de 1951, desde bem pequeno se interessava por arte. Em 1972 conheceu Oswaldo Verano, entre seus 21 ou 22 anos, e assim como Napefi, seu grande mentor foi ele. Em suas pinturas de paisagens, Alarcão costuma retratar o sertão goiano e elementos da vida caipira, destacando um jogo de cores que incorpora a natureza junto com a tradição sertaneja em um ambiente bastante harmônico. Outro elemento marcante nas obras de Alarcão é a incorporação da crítica social que representa a fome e a miséria existentes na sociedade brasileira e protestos contra situações políticas. E também, ele trabalha sobre questões da natureza humana, como o surrealismo. No Museu de Artes Plásticas de Anápolis (MAPA) há uma sala de exposição dedicada ao artista.

Obras

 
 
FAIXA ZENEIDE.png

ZENEIDE LUCENA

Sobre a artista

Zeneide Lucena é artista plástica cearense nascida em 1935 no Município de Quixadá. Em detrimento de uma forte seca no sertão nordestino em 1958, a família de Zeneide veio para Goiás. Ao se instalar em Anápolis, Zeneide foi dona de um salão de beleza na rua 15 de Dezembro chamado “Colonial Cabelereiro”, que era frequentado pela elite da cidade. Entretanto, posteriormente, ao ter visitado Pirenópolis, voltou com o propósito de dedicar sua vida inteiramente à arte. O trabalho de Zeneide é caracterizado por um forte sentido crítico e provocativo em um cenário artístico marcado pelo conservadorismo e pelo tradicionalismo.

Obras

 
FAIXA SIBASOLLY.png

ANTÔNIO SIBASOLLY

Sobre o artista

Antônio Sibasolly nasceu no ano de 1952 em São João dos Patos, interior do Maranhão. Aos 11 anos veio para Goiás e visitou Anápolis, mas residia com sua família em Gurupí - GO. Vindo de uma origem bastante humilde, ele tinha como materiais cupins, árvores e facões.  Já em Anápolis, um de seus patrões notou que ele obtinha muito talento com as artes, e apresentou ele à Oswaldo Verano, que depois o adotou como um filho. Em suas obras expressava especialmente problemas de ordem social como a fome, a miséria e a vida do homem e da mulher do campo, incorporando suas lutas e seu sofrimento. Infelizmente, faleceu no auge de sua carreira em 1981. E em 1982 foi criada a Galeria de Artes Antônio Sibasolly, em sua homenagem.

Obras

 
FAIXA LOURE.png

LOURES

 

Sobre o artista

José Rodrigues Loures nasceu em 1944 na cidade Ouro Verde de Goiás. Vindo de uma família de humildes sertanejos, desde cedo se interessava pela arte. Em 1959, sua família a procura de melhores condições de vida, mudou-se para Anápolis. Em suas esculturas trabalhava com temas como o sertanejo, o homem humilde do campo, obras sacras que retratam santos e suas histórias, e também sobre os marginalizados da sociedade, como por exemplo bêbados, miseráveis, sem teto e crianças famintas. Um homem que era bastante religioso, esculpia imagens de santos que foram colocadas em igrejas por todo o estado de Goiás.  Também era bastante crítico da situação política do Brasil, no qual denunciava a corrupção, o desmatamento, a poluição e a mortandade de animais. No ano de 2001 Loures faleceu. Um ano depois, o Museu de Artes Plásticas de Anápolis (MAPA) recebeu o nome de Museu de Artes Plásticas Loures, mas alguns anos depois, em 2015, voltou ao nome original. Entretanto, dentro do museu, situado na praça Americano do Brasil, há um autorretrato de Loures feito em pedra de sabão na recepção do prédio, e, também, há uma sala de exposição exclusivamente em homenagem a ele.

Obras

 
FAIXA OSWALDO VERANO.png

OSWALDO VERANO

Sobre o artista

Oswaldo Verano nasceu em Paracatu – MG no dia 25 de dezembro de 1909, e mudou para Goiás em 1925. Ele é o artista plástico que fundou a vanguarda da arte em Anápolis, sendo o mestre ou grande influenciador dos outros cinco artistas. Verano estudou pintura no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, no qual teve contato com a tradicional Escola Nacional de Belas Artes. E também foi um dos fundadores da Colmeia de Pintores do Brasil, que se localizava na Quinta da Boa Vista – RJ. O estilo dele é caracterizado pela arte de cunho tradicional e acadêmico, no qual predomina o paisagismo como sua principal vertente.  Foi o organizador e idealizador do 1º Salão Coletivo de Artistas Anapolinos e primeiro professor de Artes Plásticas de Anápolis.

Em 1968 foi convidado para lecionar Artes Plásticas na Escola Municipal de Belas Artes da Cidade, no qual foi o primeiro diretor da escola que carrega seu nome como uma homenagem. Em 29 de junho de 1986 Verano faleceu em decorrência de um edema pulmonar aos seus 78 anos de idade, deixando seus grandes ensinamentos e seu nome, como um clássico da arte anapolina, goiana e brasileira.

Obras

FAIZA CINZA.png

ARTISTAS SELECIONADOS

 
Ana Laura.jpeg

Ana Laura Torquato

Ana Laura Torquato é Ilustradora, artista visual e pesquisadora, é licenciada em Artes Visuais pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP) e Mestra em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Desde 2014 atua no cenário independente artístico, produzindo fanzines e participando de feiras de impressos, além de possuir obras expostas em âmbito nacional e internacional.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "As Cores Quentes da Vida".

Instagram da artista: @analaurart

Rachel Santos (1).jpg

Rachel Santos

Rachel Santos é quadrinista, ilustradora e artista visual. Apaixonada por quadrinhos, atualmente é mestranda pela FAV-UFG e estuda sobre HQs poético-filosóficas. Nasceu em 1994 em Goiânia, onde vive atualmente.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "Mãos de Artista".

Instagram da artista: @rachel_cosmos

CeciliaCamimura.jpg

Cecília Camimura

Cecília Camimura é programadora e ilustradora. Participou de várias fanzines e desenvolve um jogo eletrônico inspirado na cultura, fauna e flora brasileira. Nascida e criada em Anápolis, Goiás.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "Outro mundo".

Instagram da artista: @c_camimura

JeorgedosAnjos.jpg

Jeorge dos Anjos

Jeorge dos Anjos é ilustrador, artista visual, músico e graduando em Arquitetura e Urbanismo na Universidade Estadual de Goiás (UEG). Desenha desde antes de se entender por gente e a partir de 2016 começou a trabalhar com ilustração. Desde 2019 faz pesquisas e experimentos com desenho nas artes visuais e arte contemporânea.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "Corpo em exílio".

Instagram do artista: @jeorgedosanjos

Henri Venusto.png

Henri Venusto

Henri Venusto é artista visual e Ilustrador anapolino, com paixão pela arte lúdica e surreal. Trabalha com a produção de livros e criação de assets para jogos Indie, retratos, design e outros.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "Metamorfose".

Instagram do artista: @henridoxy

Fabio Purper.jpg

Fábio Purper

Fabio Purper é artista, pesquisador e professor em movimento entre a escultura, a cerâmica, o desenho, os quadrinhos e a animação. É licenciado, bacharel e mestre em Artes Visuais (CAL-UFSM), doutor em Arte e Cultura Visual (FAV-UFG), membro da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial (ASPAS) e do Uivo: matilha de estudos em criação, arte e vida (UFU). Na produção da narrativa participante deste projeto contou com texto elaborado em parceria com Tamiris Vaz (artista, pesquisadora e professora do IARTE-UFU).

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "Materialidade de uma vida-artista".

Instagram do artista: @fabiopurper

PedroLimboGomides.jpg

Limbo

Limbo é tatuador, quadrinista e artista plástico. Também desenvolve atividades na música e na cultura popular. Mora em Anápolis e é aluno da Escola de Artes Oswaldo Verano.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "Napefi".

Instagram do artista: @limbo.boy

Ana Maranhão .jpg

Ana Maranhão

Ana Maranhão é artista visual, estudante de Artes Visuais na UFG e fundadora do selo PIO! Zines. Trabalha com desenhos, pintura, gravura, fotografia, zines e histórias em quadrinhos. Nasceu em Goiânia em 1998, onde vive e trabalha atualmente.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "Arborescência".

Instagram da artista: @anamar_arte

Rafilds Marques (1).jpg

Rafilds Marques

Rafilds Marques é Ilustrador, designer gráfico, pintor, músico e compositor. Atua no grupo Amalgamídia, promovendo organização de projetos culturais variados e audiovisual na cidade de Guarulhos, incluindo a web série infanto-juvenil Amalgamini.

Sua pesquisa e estudos resultaram na História em Quadrinhos "O conhecimento liberta".

Instagram do artista: @rafildsmarques

FAIZA CINZA.png

EXPOSIÇÃO "DOS QUADROS PARA OS QUADRINHOS"

 

A exposição virtual “Dos Quadros para os Quadrinhos” tem o objetivo de mostrar os bastidores do projeto “Pioneiros: a História das Artes Visuais em Anápolis”.

A pesquisa e processo criativo do artista nem sempre são mostrados ao público. Assim, ainda persiste o estereotipo do ser abençoado por um dom divino.

Nesse contexto, vamos conhecer um pouco sobre os artistas: Ana Laura Torquato, Ana Maranhão, Cecília Camimura, Fábio Purper, Henri Venusto, Jeorge dos Anjos, Limbo” Gomides, Rachel Santos e Rafilds Marques.

Curadoria: José Loures

Processos dos artistas

Processos
em vídeo

FAIZA CINZA.png

HQ Pioneiros

 

Nesta coletânea de histórias em quadrinhos é apresentada a vida e obra de alguns dos pioneiros nas Artes Visuais em Anápolis: Oswaldo Verano, Antônio Sibasolly, Loures, Zeneide Lucena, Isaac Alarcão e Napefi. Para resgatar as histórias, reflexões, momentos e legado desses ícones foi convocada uma nova geração de artistas que utilizam o desenho como principal meio de expressão. Surgem, então, quadrinhos somados à sensibilidade de jovens artistas para explorar as emoções, questionamentos e possibilidades criativas daqueles que influenciaram gerações. Este projeto foi contemplado pelo Fundo Municipal de Cultura 2019.

Clique na imagem para acessar a HQ digital:

HQ PIONEIROS 200 dpi_ebook_Página_01.jpg
 
FAIZA CINZA.png

EQUIPE

WhatsApp Image 2021-02-11 at 19.54.25.jp

José Loures

Artista multimídia, professor de Histórias em Quadrinhos, e produtor cultural. Doutor em Artes pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Arte e Cultura Visual pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Graduado em Artes Visuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Trabalha na linguagem da arte computacional, histórias em quadrinhos, webarte, fake arte e gamearte. Também pesquisa sobre transhumanismo, jogos de tabuleiro, cibercultura, sexualidade e práticas divinatórias. Membro do CIPEG – Coletivo Interdisciplinar de Pesquisa em Games.

Atualmente é professor de Artes no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP).

José Loures é patrono, idealizador e proponente do projeto.

WhatsApp Image 2021-02-11 at 19.57.19.jp

Rafael Oliveira

Mestrando em Sociologia pela Universidade Federal de Goiás, na linha de pesquisa Tabalho, Formação e Representações Culturais. Graduado e licenciado em História pela Universidade Estadual de Goiás. E atua na área de pesquisa em estética, história contemporânea e história de Goiás.

Rafael Oliveira é responsável pela pesquisa histórica do projeto.

Jeorge.jpg